Atleta de CrossFit Sari Olkkonen treina com Fivefingers – CrossFit athlete Sari Olkkonen trains with Fivefingers

Na minha temporada em Antenas, durante a GreekTrowdown 2017, uma das maiores competições de Crossfit da Europa, acompanhei a atleta finlandesa Sari Olkkonen, com as suas Fivefingers.

Como podologista, tive a oportunidade de analisar que a atleta Sari Olkkonen tinha uma flexibilidade extraordinária em diversos exercícios solicitados. Para quem não sabe, as Fivefingers são sapatilhas minimalistas com conceito baseado nas nossas origens, que cria a sensação de estarmos descalços ao andar e correr. Dado o interesse no assunto, pedi à atleta para partilhar a sua experiência com as Fivefingers.

Patrícia Pontes Podologista: Tens algum problema de postura ou apoio de pés?

Sari Olkkonen: Eu não tenho nenhum problema de postura ou apoio de pés. Vivi a minha infância no campo finlandês, onde tirava os sapatos logo no primeiro dia de primavera, quando a neve derretia. Como a minha família vivia numa grande fazenda, eu andava descalça pelos campos, estradas arenosas e floresta todo o verão. Considero isso um grande benefício para minha saúde na idade adulta, tanto a nível físico como psicológico.

Patrícia Pontes Podologista: Há quanto tempo treinas CrossFit com as Fivefingers?

Sari Olkkonen: Pratico CrossFit há três anos e meio e sempre usei as Fivefingers. A primeira vez que comecei a usá-las foi em 2009 quando apenas corria. Até agora tenho corrido cinco maratonas clássicas de Atenas usando as Fivefingers.

Patrícia Pontes Podologista: Já tiveste alguma lesão no CrossFit com as Fivefingers?

Sari Olkkonen: Nunca tive nenhuma lesão no CrossFit usando as Fivefingers.

Patrícia Pontes Podologista: Na realização de um Squat, com carga pesada, manter a correta postura dos joelhos e pés é muito importante. Sentes dificuldade em manter esta postura correta com as Fivefingers?

Sari Olkkonen: Não sinto dificuldades em manter a minha boa postura nos exercícios de CrossFit usando as Fivefingers. O Squat Snatch é difícil para mim em qualquer situação. Encontrei alguma ajuda usando sapatilhas com calcanhar mais alto, mas estou a trabalhar nisso e no treino evito usar outro tipo de calçado que não seja as Fivefingers, mesmo nos Squat Snatch.

Patrícia Pontes Podologista: Quais os motivos para escolheres as Fivefingers e não usares outras sapatilhas de CrossFit?

Sari Olkkonen: Eu amo os meus pés e considero-os uma parte muito importante do meu corpo. Eles são lindos e tornaram-se ainda mais bonitos desde que encontrei as Fivefingers. Os meus dedos não estão mais juntos e o arco do pé está mais alto. Além disso, eles tornaram-se mais fortes. Como eu comecei a correr com elas, não encontrei nenhuma razão para não usá-las no CrossFit. Elas são leves e, acima de tudo, dão liberdade aos meus pés para que estes usem a sua potência e mecanismo na execução de todos os exercícios da maneira correta. Se não usasse as Fivefingers, fazia CrossFit totalmente descalça. O corpo humano não nasceu só para correr. Serve para saltar, agachar, levantar, puxar, carregar, subir, entre outras atividades, sem quaisquer equipamentos extras.

Como vê eu sou apaixonada pelos meus pés descalços e seus benefícios desempenham grande parte do meu bem-estar no corpo inteiro. Os meus parabéns pela sua grande escolha profissional. Tenho a certeza que você ajuda muitas pessoas a encontrar a importância dos seus pés. Muitas vezes eles podem ser a parte mais esquecida e negligenciada do corpo humano.

____________________________________________________________________________________________________

English Version

During the time I spent in Athens, at the GreekTrowdown 2017, one of the most important CrossFit competition in Europe, I followed the Finnish athlete Sari Olkkonen with her Fivefingers. As a podiatrist I had the opportunity to confirm, on several exercises, that this athlete had an extraordinary flexibility.

For those who do not know, the Fivefingers are minimalist sneakers with its concept based on the human origins, creating a feeling of walking and running as if we were barefoot.

I’ve asked the athlete Sari Olkkonen to share her experience wearing Fivefingers. This is what she said:

Patrícia Pontes Podologista: Do you have any posture or foot support problems?

Sari Olkkonen: No, I don’t have any kind of problem with my posture or my foot support. I’ve lived my childhood in the Finnish countryside. Here, on the first day of spring when the snow melted, I used to take off my shoes. Since my family lived on a big country farm I used to run barefoot in the fields, sandy roads and forests during the whole summer. I consider this a great benefit for my adulthood health, physically and psychologically speaking.

Patrícia Pontes Podologista: For how long do you have been practicing CrossFit with Fivefingers?

Sari Olkkonen: I have been practicing CrossFit for three and half years and I have always wore Fivefingers. The first time I wore them was in 2009 when I was only running. Until now I’ve run five Athens classical marathons wearing Fivefingers.

Patrícia Pontes Podologista: Have you had any injury in CrossFit wearing Fivefingers?

Sari Olkkonen: No. I’ve never had any injury in CrossFit wearing Fivefingers.

Patrícia Pontes Podologista: In the execution of a heavy weight Squat, to keep the correct posture of the knees and feet is very important. Is it difficult to maintain this correct posture with the Fivefingers?

Sari Olkkonen: I don’t find it difficult to keep my correct posture while exercising wearing Fivefingers. The Squat Snatch is always difficult for me. I’ve found some help wearing shoes with higher heel. But I’m working on it and on my training I avoid wearing other shoes than Fivefingers even on Squat Snatches.

Patrícia Pontes Podologista: What are the reasons for choosing Fivefingers instead of other CrossFit sneakers?

Sari Olkkonen: I love my feet and I consider them a very important part of my body. They are beautiful and they’ve become even more beautiful since I found the FF. My toes are not stuck together and the arch has got higher. Furthermore they’ve become stronger. Since I started running with them I didn’t find any reason not to wear them while CrossFitting. They are light weighted and most of all they give my feet the freedom to use its own power and mechanisms in order to execute every exercise in a proper way. If I wasn’t wearing FF I would do CrossFit totally barefoot. The human body wasn’t made only to run, it was made for jumping, squatting, lifting, throwing, pulling, carrying and climbing and so on without any extra equipment.

As you see I’m passionate in bare footing and the benefits of it play big part of my whole body’s well being. I congratulate you for your great choice of profession. I’m sure you help many people to find the importance of they feet. Many times they may be the forgotten and the most neglected part of human body.

Boa respiração, boa postura

A respiração e a postura têm uma relação íntima.

Respirar parece algo simples e inato embora, tenho verificado que a maior parte dos meus pacientes e sobretudo atletas, não respiram de forma adequada. Isto leva a descompensações posturais e a um cansaço mais rápido sobretudo na atividade física, pela pobre oxigenação dos tecidos.

O diafragma é o músculo principal pela respiração e quando o temos “enfraquecido” desencadeamos alterações posturais  como desvios e dores na coluna vertebral, encurtamentos/disfunções musculares.

Deixo aqui, um dos exercícios que muitos de vocês me têm pedido e que me parece simples para vocês iniciarem e tomarem consciência de uma respiração mais eficiente:

1. coloquem-se deitados, sentados ou de pé mantendo a postura correta das costas

2. se preferirem podem fazer o exercício de olhos fechados para uma maior concentração

3. coloquem as vossas mãos, com leve pressão, sobre as costelas inferiores, dedos próximos do estômago ou plexo solar e cotovelos para fora.

4. inspirem o ar pelo nariz, procurando e sentindo que as vossas costelas estão abrindo, ao mesmo tempo que as mãos se vão afastando uma da outra

5. soltem o ar lentamente, sentido que  as costelas se estão a fechar e as mãos a aproximarem-se

6. repitam este exercício diariamente por alguns minutos para o automatizarem

7. para os que e perguntam como iniciar a meditação, sugiro que façam este exercício escolhendo um lugar calmo, sereno, com uma música relaxante e concentrem-se apenas na vossa respiração.

* Boa respiração, boa postura mais tranquilidade *

O Pilates e a Podologia

Muitos dos problemas que temos nos pés, têm origem numa má postura corporal ou vice versa. Como podologista, uma das minhas abordagens terapêuticas é a aplicação de palmilhas posturais personalizadas. No entanto, em determinados casos clínicos, verifico a necessidade da intervenção simultânea, de outras áreas específicas.

O pilates é uma dessas áreas. Tenho desenvolvido neste sentido, um trabalho juntamente com o Ginásio Razões do Corpo, que desenvolve uma abordagem ímpar nesta área.

Para que vocês compreendam melhor a abordagem do Pilates, pedi ao Ginásio Razões do Corpo e á Professora Teresa Sousa, para vos esclarecer algumas questões:

O que é o Pilates?

Prof. Teresa Sousa: “Pilates é um método de treino físico e mental criado pelo alemão Joseph Hubertus Pilates. Permite praticar atividade física, mesmo quando existem lesões, ajuda a equilibrar o corpo, corrigir posturas, prevenir lesões, melhorar a respiração e aumentar a concentração”.

Qual a função do Pilates na correção postural?

Prof. Teresa Sousa: “A sua principal função é corrigir desequilíbrios corporais levando o corpo a uma harmonia estética e a um bem-estar físico geral. Os principais benefícios do método são a força, a flexibilidade e o controlo do corpo, é essencial que estas três vertentes funcionem em simultâneo de forma equilibrada para obtermos uma melhor postura global”.

Está indicado a realização de aulas de pilates em simultâneo com o tratamento de podologia?

Prof. Teresa Sousa: “Sim, as aulas de Pilates vão complementar o tratamento podológico. Todo o trabalho de Pilates é feito no sentido de uma reestruturação do esquema corporal de baixo para cima (pés para a cabeça) e do centro para a periferia. Dependendo do tipo de patologia apresentada , o professor de Pilates vai trabalhar o   aluno, corrigindo compensações numa relação entre o relaxamento e a ativação consciente de  músculos que durante os exercícios  vão dar forma a um equilíbrio   posicional correto. Existem, inclusive, equipamentos específicos para a sua reabilitação, como por exemplo, o corretor de joanetes”.

Existem várias vertentes do Pilates ?

Ginásio As Razões do Corpo: “Sim, após o falecimento do fundador do método Pilates, os seus discípulos desenvolveram outras correntes, mas os fundamentos do método mantiveram-se dando origem ao Autêntico Pilates, Pilates Clássico ou Pilates Original. Ao longo dos anos apareceram outras correntes mais contemporâneas do método como o Neo pilates, o Pilates Funcional, entre outros. Hoje, existem muitas outras modalidades a que se associa o nome Pilates, mas são criações individuais”.

Como desenvolvem o trabalho do método de Pilates?

Ginásio As Razões do Corpo: “Os nossos profissionais têm formação de Autêntico Pilates, Pilates Clássico e Funcional, com vertente em patologias e populações especiais, o que nos permite trabalhar com um vasto publico e situações clínicas diferenciadas. Como trabalho de Pilates, para além das aulas de grupo de MAT e pequenos equipamentos, podemos desenvolver, também, o trabalho de Pilates em estúdio, com máquinas; Reformer, Cadillac, High Barrel, Combo Chair, entre outras, que nos permitem fazer uma avaliação mais rápida e completa das necessidades corporais do aluno, o que, consequentemente, leva a uma prescrição do exercício mais assertiva e de acordo ao pretendido, que é, atingir os objetivos mais rápida e consistentemente”.

Ginásio As Razões do Corpo – Guimarães

https://www.facebook.com/ginasioasrazoesdocorpo/