E se a postura exterior fosse um reflexo da postura interior?

Hoje ligou-me a Rita, precisava da minha ajuda, num problema que a sua filha Bia de 6 anos tem, ao nível da postura corporal.

Ao telefone dizia-me: “tudo piorou desde que ficamos em casa de quarentena, acho que é das posições erradas que ela tem, as queixas dela das costas aumentaram. Estou a ligar-lhe para ver se me consegue fazer umas palmilhas, para melhorar a postura dela. Estou cansada de lhe dizer para colocar aquelas costas direitas, mas sabe como são as crianças, não ligam nenhuma ao que os pais dizem…”

Mal vi a Bia, era nítida a tensão enorme que ia dentro daquele pequeno coração. Era como se senti-se ao longo de muito tempo, o peso do mundo sobre as suas costas. Com a quarentena tudo piorou, o mundo acabara de ruir sobre as suas costas, era peso a mais para aquele pequeno esqueleto suportar.

De nada serve dizer á criança para colocar as costas direitas, nem muito menos, colocar umas palmilhas quando o corpo se revela como um tsunami. Foi preciso eu trabalhar a um outro nível, com outra consciência e libertar aquele pequeno coração. As crianças têm esta função incrível e extraordinária, de trazerem para a luz aquilo que os adultos,  tentam a todo o custo manter nas profundezas da sombra.

Não será na sombra que está a mudança?

Já todos sabemos, que este ser microscópico (vírus) fez parar o mundo. Obrigou-nos a recolher em quarentena para confrontarmos as nossas vidas, o nosso lar, sobretudo a sombra que há dentro dele. Considero uma oportunidade de ouro, para resolvermos tudo que temos para resolver, para comunicar o que é necessário comunicar, para prestarmos atenção àquilo que antes não tínhamos tempo, para amar, para criar, restruturar, largar ou para reanimar. Vivíamos numa distração louca, mergulhados num ruído externo e numa cegueira total.

A frase de Antoine de Saint-Exupéry “O essencial é invisível aos olhos” é mágica. Para muitos de nós o invisível não existe,  eu penso que é exactamente, o que é invisível aos olhos que é real.

Sinais de COVID-19 nos Pés

Ontem estive em contacto com colegas espanhóis e um italiano da área da Podologia, onde discutimos os possíveis sinais de problemas podológicos, associados a pessoas infectadas com COVID-19.

Foram recolhidos registos de pequenas lesões dérmicas de acro-isquémia, nos pés de crianças e jovens, associadas ao COVID-19. O primeiro caso clínico foi reportado por um dermatologista em Itália, num menino de 13 anos de idade.

Embora as crianças e adolescentes tenham boa saúde, as lesões dérmicas afetam principalmente os pés e por vezes as mãos. As zonas típicas mais afectadas são os dedos dos pés e mãos, mas podem também afectar a região plantar. As lesões apresentam-se, com uma cor púrpura avermelhada ou azulada podendo evoluir para bolhas ou crostas, acompanhadas de dor.

Considerando a situação de emergência que se está a viver em Itália, há dados clínicos que não foram possíveis de serem avaliados de forma mais precisa, contudo, neste estudo referem que se mais observações e dados laboratoriais, confirmarem que estamos diante de um sinal clínico de COVID-19, estas lesões dérmicas poderão ser úteis como um sinal dermatológico para identificar crianças e adolescentes com formas mínimas de infecção, mas fontes potenciais de infecção adicional.

Embora a faixa etária de incidência do COVID-19, seja maior em adultos é necessário estarmos atentos aos mais jovens pois não podem ser excluídos.

 

****

 

Fonte  de Imagem e Referências: Mazzotta F., Troccoli T. Dermatologia Pediatrica, Bari. Agradeciemnto aos colegas do Fórum “Amici DermPed” que primeiro relataram as manifestações cutâneas.

 

Palmilhas Personalizadas Extrafinas

As novas palmilhas extrafinas são totalmente Handmade, pensadas, desenhadas, confeccionadas para o seu problema e/ou modalidade desportiva e estado emocional. Oferecem o apoio e correção perfeito ao seu pé, além da função fundamental de reprogramarem toda a sua postura corporal.

PORQUE ESCOLHER ESTAS NOVAS PALMILHAS?

* Ajustam-se perfeitamente ao seu calçado sem ter que mudar de número e facilmente troca de uns sapatos para outros.
* Reprogramam a sua postura corporal diminuindo e eliminando dores de costas, joelhos, anca, tendinites, esporões, fasceítes, pernas de diferentes tamanhos, entre muitos outros casos.
* Evitam a colocação de próteses de anca ou joelho no futuro pois permitem um alinhamento correto do seu corpo.
* Totalmente personalizadas ao seu problema e a cada pé, direito e esquerdo.
* Materiais de excelente qualidade o que lhes confere uma longa durabilidade.
* Indicadas para crianças, adultos, desportistas, diabéticos

 

Pé plano valgo

O pé plano valgo é caraterizado por uma diminuição do arco interno do pé e desvio interno dos calcanhares.
Por volta dos nove meses de idade, quando a criança inicia os primeiros passos, o pé apresenta-se com uma imagem de pé plano mas em consequência da quantidade de tecido adiposo (tecido de gordura) na planta do pé, considerando-se normal.

Aproximadamente a partir dos dois anos de idade, se a criança expõe caraterísticas de um pé plano e antes da ocorrência de uma formação estrutural do pé, é fundamental o exame e avaliação biomecânica do pé para realizar um correto diagnóstico e verificar a necessidade ou não da aplicação de um tratamento.

Em determinados casos, as crianças com pé plano valgo referem dor no arco interno do pé, dor no calcanhar e tornozelo que intensifica ao correr ou simplesmente ao andar.
Em consequência de um mau funcionamento e apoio do pé, poderá aparecer dor nos joelhos, anca e coluna vertebral.

Realizamos previamente à aplicação de qualquer tipo de tratamento uma avaliação biomecânica e postural, englobando avaliação articular, avaliação muscular, observação estática e dinâmica do caminhar, medição de ângulos e exame de podometria computorizado em estática e dinâmica, para obter um correto diagnóstico e analisar a necessidade de um tratamento prevenindo consequências futuras no pé e membro inferior.

Os nossos tratamentos consistem no desenho e adaptação personalizada de palmilhas específicas para corrigir a diminuição do arco interno e a posição do calcanhar quando a criança caminha, diminuindo consequentemente a dor presente.
Nos casos de pé plano valgo muito grave com sintomas incapacitantes, e que não responderam positivamente ao uso de palmilhas e a outros tratamentos conservadores, poderá estar indicada a intervenção cirúrgica.

Nesta nossa consulta de especialidade, não só orientamos todo o nosso conhecimento no tratamento como, na orientação e conhecimento, que os pais devem ter na escolha do calçado dos seus filhos.